Fora da Bigorna
11 de Maio/Terça Feira

Enquanto digito a conclusão deste livro, meus pensamentos acabaram de sofrer um novo impacto. Minha esposa e eu voltamos há pouco de uma viagem de emergência para ver meu pai. Ele está muito doente. Sofre da doença Lou Gehrig (Esclerose Lateral Amiotrófica), que ataca os músculos e para a qual não se conhece cura, nem a sua origem. Fomos chamados para ir vê-lo sem saber se iríamos encontrá-lo vivo ao chegarmos. Mas ele estava vivo e ainda continua vivendo. "Todavia, embora tivesse melhorado bastante, nós sabemos (e ele também) que, a não ser pela intervenção divina, o tempo de sua partida está próximo.

Meu pai é um homem de grande fé. Um professor apto e um líder influente. Ele jamais deixou qualquer dúvida quanto à sua posição sobre Deus. Suas primeiras palavras para nós, quando fomos vê-lo na unidade de terapia intensiva foram: "Estou pronto para ir para o céu. Penso que chegou a minha hora".

Quando a doença foi diagnosticada, minha mulher e eu nos encontrávamos nos últimos estágios dos preparativos para trabalhar como missionários na cidade do Rio de janeiro, no Brasil. Quando soube que meu pai tinha uma doença terminal, escrevi-lhe oferecendo para mudar meus planos e ficar com ele. Mas imediatamente me respondeu, dizendo: "Não se preocupe comigo. Não temo a morte nem a eternidade. Vá... agrade a Ele".

A vida de meu pai é um exemplo de um coração derretido no fogo de Deus, formado em sua bigorna e usado em sua vinha. Ele sabia e sabe, qual o propósito de sua vida. Numa sociedade de dúvidas e confusão, a vida dele sempre foi definida.

Uma passagem pela bigorna de Deus deve fazer isso por nós: esclarecer nossa missão e definir nosso propósito.

Quando uma ferramenta emerge da bigorna do ferreiro, sabe-se perfeitamente para o que serve. Não há qualquer dúvida sobre a sua aplicação. Basta olhar para a ferramenta e você sabe na mesma hora qual a sua função. Se pegar um martelo, sabe que foi feito para bater pregos. A serra foi feita para cortar madeira. A chave de fenda serve para apertar parafusos.

Quando um ser humano sai da bigorna de Deus, o mesmo deveria acontecer. Ao sermos provados por Deus, nos lembramos que nossa função e tarefa é cuidar dos negócios dele; que nosso propósito é ser uma extensão da sua natureza, um embaixador de sua corte real e um arauto da sua mensagem. Devemos sair da oficina sem qualquer indagação sobre o motivo de termos sido feitos. Conhecemos nosso propósito.

Num mundo de confusão de identidade, de compromissos vacilantes e futuros incertos, vamos ser firmes em nosso papel. A sociedade precisa desesperadamente de um grupo de pessoas cuja tarefa seja clara e cuja determinação seja indiscutível.

Deus não escondeu sua vontade de seu povo. Nosso Mestre não brinca conosco. Sabemos quem somos. Sabemos para o que fomos feitos. Pode haver alguma pergunta de vez em quando sobre como e com quem devemos realizar a sua missão. Mas a verdade subjacente continua a mesma. Somos o povo de Deus e devemos cuidar dos seus negócios.

Se vivermos deste modo, poderemos, como meu pai, entrar nos últimos anos com a segurança de saber que a nossa vida foi bem gasta e que o céu está à nossa espera.

Existe recompensa maior que essa?

Autor: Max Lucado

Fonte: http://www.hermeneutica.com/ Related Posts with Thumbnails
3 Responses
  1. Cleverson Says:

    O Amado em Cristo, gostei muito do se blog, texto impactantes e sem duvida edificantes. Que Deus continue o abençoando. Ja o adicionei como seu seguidor, se possivel me adicione tambem.

    Cleverson


  2. Belo texto
    Meu irmão
    Nesse momento estou na bigorna de Deus, mas que sei que é muito melhor ser moldado por ele do que pelo mundo.
    Em Cristo
    Josué Nogueira


  3. Rose Says:

    A Paz Pr. Rodrigo.
    Seu blog é uma benção, claro que já virei seguidora. Díficil é sair daqui pois as postagens são inteligentes e nos edificam, têm clareza e não é manipuladoa, gostei e vou colocar seu link na minha lista.
    Estou começando a blogar para cristo agora, já tenho outros blogs em outras áreas ( a mais tempo) onde fiz bastantes amigos e o Senhor vem me usando para divulgar seu amor e salvação entre eles, pois sempre surgem oportunidades para isso. Mais ele vinha me "incomodando" para blogar também num cantinho só dele e ai surgiu o Águas Tranquilas, dê uma passadinha lá assim que puder, o link é este:
    http://pastosverdejantes-rose.blogspot.com/
    Abençoado dia para você e sua família,
    abraços,
    Rose.